Diretor: 
João Pega
Periodicidade: 
Diária

Biblioteca Municipal de Cantanhede tem Máquinas de Escrever em exposição até ao fim deste mês


tags: Cantanhede, Máquinas, Escrever Categorias: Região Saturday, 13 April 2019

A Biblioteca Municipal de Cantanhede dispõe de uma exposição intitulada “Mostra de Máquinas de Escrever”, onde podem ser vistos 23 equipamentos, de várias marcas de fabricantes, manuais e elétricos, propriedade de instituições e habitantes do concelho. A mostra está patente ao público até 30 de abril.

Do acervo que está exposto na Biblioteca Municipal de Cantanhede fazem parte máquinas de escrever que foram propriedade de escritores emblemáticos do concelho, nomeadamente Augusto Abelaira e Carlos de Oliveira, e que são de vários habitantes anónimos e instituições do concelho.

Em exposição estão, inclusivamente, equipamentos que pertencem à Escola Secundária de Cantanhede, que atualmente faz parte do Agrupamento de Escola Lima-de-Faria, à Cooperativa Agrícola de Cantanhede, à empresa inicial “Hortícola de Cantanhede”, ao Grupo Folclórico Cancioneiro de Cantanhede, ao Museu Rural Etnográfico – Rancho Regional “Os Esticadinhos” e à Paróquia de S. Pedro.

Substituídas pelos computadores, na era da informática, as máquinas de escrever marcam um período importante na história da tecnologia.

Inventadas e desenvolvidas no século XIX, surgiram na altura em que o setor comercial e os serviços estavam em expansão, para dar resposta à “necessidade de uma maior rapidez e uniformidade de escrita”, tal como recorda a edilidade cantanhedense.

À ampla difusão destes equipamentos de escrita está associado “um grande impulso nas comunicações da época, para o desenvolvimento económico e social e, também, para a entrada e a emancipação da mulher no mercado do trabalho e no mundo dos negócios”, realça a edilidade na informação de divulgação da exposição.

“Com o encerramento da última fabricante de máquinas de escrever, a multinacional Godrej & Boyce, com sede em Bombaim, em abril de 2011, hoje, com mais de 200 anos passados, e quase desconhecida dos mais jovens, a máquina de escrever transformou-se em peça de antiquário e de museu”, afirma a edilidade cantanhedense, justificando a exposição patente até ao fim deste mês.

 

Fotografia: “Mostra de Máquinas de Escrever” exposta na Biblioteca Municipal de Cantanhede